alicerce

quarta-feira, 19 de março de 2014

devaneios sentimentalistas

É triste quando nos acomodamos e sofremos por razoes absurdas. Desvaneios. Falsas esperanças. Mas é pior, assombroso até quando tudo acontece ao contrário e nos focamos ao máximo nalgo para dar certo e no final, tudo parece que deu errado. Quando o nosso amor não está para nos juntar, então aí eu corro, eu salto, eu sinto a tua falta a toda a hora. E tu, deixas-me num degrau atrás sempre, sem que possa chegar perto de ti e dizer-te as palavras do meu coração. É por isso que eu só quero chegar perto de ti e dar-te um monte de beijos, quero mostrar-te com atos aquilo que as palavras jamais transmitem e quero olhar-te nos olhos e, mesmo quando os teus forem em direção contrária dos meus, dizer-te o quanto o nosso amor me alimenta. Vá lá mor, deixa-me ouvir a tua voz terna e acelerar-te as batidas do coração. Deixa-me dar paz à tua alma e percorrer os teus traços. Mal vejo a hora de sentir que o teu amor é o que me alimenta. E isso eu só sinto quando deixamos de ser dois para sermos um só.

Sem comentários :

Enviar um comentário